sexta-feira, 30 de setembro de 2011

O gosto pela leitura: um dos segredos dos grandes oradores

Dizia o grande advogado Quintiliano, que viveu em Roma entre os anos 30 a 95 d.C, em sua imortal e grandiosa obra Instituições de Oratória, que se alguém deseja se tornar um grande orador tem que cultivar o gosto pela leitura.

A imagem ao lado, de 1496, diz muita coisa. Um dos maiores nomes do mundo na arte da palavra, Marcus Túlio Cícero, sendo retratado, ainda jovem, mergulhado em profunda leitura.

O grande orador tem conteúdo, é um homem fundamentado no saber, no conhecimento, não é um saco vazio. E um dos segredos para se adquirir conteúdo, substância, é se dedicar ao saudável hábito de ler. É difícil de se imaginar um exímio orador divorciado da amistosa companhia dos livros.

De Pouco adianta fazer cursos e mais cursos de expressão verbal, de entender de técnicas retóricas, de gestos, de posturas etc, se o orador for uma pessoa sem conteúdo, que não tem o que dizer por deficiência intelectual derivada da falta de leitura. O orador verdadeiro é homem de cultura sólida e ampla, adquirida com anos a fio de estudos, de leituras, de dedicação à sua própria ilustração.

Um comentário:

WILTON C. ALVES disse...

Daí prezado Sanderson, a importância do contato com textos formativos, com excelentes obras de cultura. Textos que possibilitem ao estudante compreender o sentido e a dinâmica da vida, da cultura, das relações sociais. Sem dúvida a leitura nos abre as portas às grandiosas questões. Sem a compreensão dos conceitos, estaríamos a falar no vazio, no sem sentido.