quinta-feira, 16 de agosto de 2012

A Bíblia e o Júri: chamaram-me para ser um pastor

Depois desse júri da foto, lá em Tarauacá, um cidadão chegou pra mim e disse-me: "Doutor, vamos fundar uma igreja? O senhor dá um pastor muito arrumado". Ele era um crente fervoroso, e estava assistindo ao julgamento, e me viu citando a Bíblia, e me viu lendo um livro chamado Citações Jurídicas da Bíblia, e um outro que falava a respeito de muitos crimes narrados nas Sagradas Escrituras e a forma como foram julgados - e toda vez seus olhos vibravam de alegria ao saber que a Bíblia estava no centro das atenções, mais do que as leis dos homens.

Falei do episódio em que Moisés matou um soldado egípcio para defender um hebreu, e fugiu para não ser pego - porque muitos promotores falam que quem age em legítima defesa não foge, e esse exemplo, de Moisés, é bem forte, e derruba qualquer jurisprudência ou doutrina que diz que não foge. O réu foi absolvido. O próprio júri tem origem místicas, religiosas, que remontam a lei mosaica. Quem me convidou a ser um pastor com certeza sentiu toda essa egrégora, toda essa energia, todo esse mistério, todo esse véu que envolve o ato de julgar pelo tribunal do júri.

2 comentários:

Rafael Santos disse...

Dr. Sanderson, sou jovem advogado no interior do Mato Grosso, há algum tempo tenho acompanhado seu trabalho...brilhante...tem como me passar os dados destes 02 livros citadod acima, os achei muito interessante.

'.'Fraternais Abraços '.'
Rafael Santos de Oliveira

fael779@gmail.com

Sanderson Silva de Moura disse...

Caro amigo Rafael, o primeiro livro é intitulado Citações Jurídicas na Bíblia, de Átila J. Gonzales e Ernomar Octaviano, Livraria e Editora Universitária do Direito; o segundo livro é intitulado Histórias de Crime da Bíblia, organizado pela Sociedade Bíblica do Brasil. Abraços.