terça-feira, 6 de janeiro de 2009

A retórica do medo

A anáfora é uma figura estilística que cumpre importante papel dentro da oratória.

Consiste na repetição de palavras ou expressões, no início de cada frase, com o objetivo de martelar uma idéia, um pensamento ou uma proposta.

Santo Agostinho costuma criar slogans em seus discursos para inculcar nos fiéis a sua lição. Padre Antonio Viera também utilizava muito a reiteração como recurso retórico.

Lendo o livro Argumentação e Discurso Jurídico, de Antonio Henrique, pude melhor perceber como a Igreja Medieval amedrontava seu rebanho utilizando-se da força expressiva da anáfora.

"Fogo, fogo; tal é a recompensa de vossa perversidade, pecadores endurecidos. Fogo, fogo e fogo do inferno. Fogo nos olhos, fogo na boca, fogo nas entranhas, fogo na garganta, fogo no nariz, fogo dentro, fogo fora; fogo embaixo, fogo em cima, fogo por toda a parte."

Ainda hoje, a retórica do medo é a base da existência de muitas religiões.

Um comentário:

Gabriel Gonzaga disse...

Muito legal sua abordagem. Parabéns!