segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

A bela origem da oratória

Por volta do ano de 465 a.C, dois homens dotados de grande inteligência e poder verbal começaram a ensinar o povo a se defender, por meio da palavra bem construída, dos ataques dos tiranos de Siracusa.

Tísias e Córax resolveram escrever o primeiro tratado sobre a arte de falar bem, instruindo as vítimas usurpadas de suas propriedades e de outros direitos a sustentarem suas razões nos tribunais da cidade, com firmeza, com destemor, com argumentos sólidos e técnicas apropriadas.

Aos poucos a nova arte foi ganhando brilho e graça fazendo parte da formação cultural dos jovens da época.

Alastrou-se pelo mundo e ganhou foros de sacralidade nos tempos de ouro da cultura grega, com Demóstenes, Péricles e Sócrates, quando mais uma vez foi usada para a pregação do que existe de grandioso no espírito humano.

A origem, portanto, da oratória, está fortemente associada às causas nobres, como a construção do império do direito contra à violência das armas, a afirmação da dignidade humana, a construção do bom governo, a busca do bem, do belo e do justo.

2 comentários:

Saulo disse...

A frase Manoel Pedro Pimentel, sem dúvida norteará também a minha vida. Sou acadêmico do curso de Direito e pretendo exercer a minah acarreira de advogado com a mesma dedicação sua. Parabéns. Saulo Moura

Manuela Penzlien disse...

Olá. Sou comunicóloga e ministro palestras e cursos sobre oratória e outros assuntos. Procurando uma explicação inteligente sobre a origem da oratória encontrei o seu post e achei fantástico. Gostaria da sua permissão para utilizar este texto em uma apostila que estou montando. Logicamente o seu nome e o link do seu blog estarão presentes, mas de qualquer forma acredito que seja ético e de bom tom perguntar se você se incomoda em ser citado na minha apostila.
Att.
Manuela Penzlien
www.manuelafreelancer.blogspot.com.br