sexta-feira, 23 de janeiro de 2009

Nas ondas de nossa honrada tradição

" O furor das paixões políticas coloca os adversários fora da lei, há que se buscar para a sua proteção o abrigo da legalidade, incumbência que a tradição jurídica das mais antigas civilizações reservou sempre ao ministério do advogado, cabendo honrá-lo, não só arrebatando os inocentes da perseguição, mas reivindicando, no julgamento dos criminosos, a lealdade às garantias legais, a eqüidade, a imparcialidade, a humanidade". Rui Barbosa, o Dever do Advogado.

"A perseguição legal é mais odiosa do que a violência bruta, porque ela reúne a hipocrisia à iniqüidade. Os juízes que conferem à perseguição a aparência de legalidade são mais perversos do que os carrascos. Surge dái a necessidade de um advogado ardoroso para fazer triunfar a boa administração da justiça."

Em nossos dias, principalmente na defesa dos odiados, o advogado deve empenhar-se com redobrado ardor, para que as garantias legais dos acusados não adormeçam no papel.

Aos que insistem em não reconhecer a importância social e a nobreza de nossa missão, e tanto nos desprezam quando nos lançamos, com redobrado ardor, na defesa dos odiados, só lhes peço que reflitam, vençam a cegueira dos preconceitos e percebam que o verdadeiro cliente do advogado é a liberdade humana, inclusive daqueles que não nos compreendem e nos hostilizam, se num desgraçado dia precisarem de nós, para livrarem-se das teias da fatalidade." Evaristo de Morais, O Advogado Criminalista, esse desconhecido.

3 comentários:

Adelmar Araújo disse...

"A dialética do processo não é, em si, nada complicado. Mas é mais fácil exprimi-la numa fórmula geral do que ir descobrindo a sua realidade nos fatos concretos. Neste campo encontramos hoje ainda preconceitos radicados que originam erros políticos de graves consequências". Leon Trotsky - Minha Vida.

Sanderson Silva de Moura disse...

Grande Adelmar.

Por onde andas?

Trouxe-me boas lembranças.

De Trotsky carrego influências que ainda não descobri por inteiro.

O despertar para a advocacia, vendo aqueles processos de moscou.

Abraços, Sanderson moura.

PROFESSOR WILTON disse...

Que a história nos ensine.
Obrigado.