segunda-feira, 16 de abril de 2012

O dever ético de interpretar com retidão

Tem um princípio ético da advocacia que diz: "Deve o advogado pugnar pelo cumprimento da Constituição e pelo respeito à lei, fazendo com esta seja interpretada com retidão".

 Muitas vezes o advogado é acusado de achar brechas na lei, de todo tipo, para beneficiar seus clientes. Mas pego esse princípio e trago para a aplicação mais geral, para a nossa vida diária, e pergunto: Interpretamos os acontecimentos, os fatos da vida, as coisas, as leis, as informações que nos chegam com retidão, com caráter, com honestidade, com consciência, com boa fé?

 Ética é sempre ética, serve para todos, aqui ela estar sendo aplicada à advocacia, mas interpretar com retidão é dever de todos nós!

3 comentários:

João Arlenildo da Silva Oliveira (JOÃO BRÁZ) disse...

Parabens Doutor pelas materias aqui em seu blog. São muito proveitosa a qualquer um que quer ser informado. Parabens. Meu nome é João,moro em Jordão Ac, e tambem tenho um blog e gostaria de pedir-lhe que se possivel colocasse-o em sua lista de Blog, ja add o seu.
Abraços João.

Sanderson Silva de Moura disse...

Olá João, seja bem-vindo a este espaço.

Envie-me, amigo, o endereço do blog.

Saúde e prosperidade!

Sanderson

Hugo Brito - Jordão - AC. disse...

Caro amigo Dr. Sanderson Moura,
O Conceito de ética pode ser resumido nas poucas palavras do filósofo contemporâneo Mário Sérgio Cortella, que diz: "Ética é o conjunto de princípios e valores que eu e você utilizamos para resolver os três grandes problemas da existência; quero, posso e devo. Como ultilizar esses príncípios? Tem coisa que eu quero mas não posso, tem coisa que eu posso mas não devo, tem coisa que eu devo mas não quero. Tenho paz de espírito quando o que eu quero é o que eu posso e devo."