sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

A disposição do advogado

Hoje acordei disposto a escrever a respeito da disposição. Sou um cultivador desta palavra. Ela significa ser senhor de sua ação. É um estado de espírito, de ânimo dos mais elevados, para vencer, para conquistar, para resolver uma situação. Lembrei-me da resposta que deu Rui Barbosa quando alguém lhe perguntou a razão de seu sucesso: "O sol nunca me pegou dormindo".

Estar disposto a acordar cedo, disposto para trabalhar, disposto para vida, disposto para estudar, disposto para aprender, disposto para tudo o que é bom.

O advogado deve cultivar esse precioso estado de espírito, pois é ele quem nos afasta da nostalgia, da preguiça, da negligência, da desídia com as causas que patrocinamos.

A disposição não é nenhum dom que vem do além, é um cultivo, uma vontade de ser, um querer agir.

Decorre daí que é sempre importante saber escolher a causa, o combate, o compromisso, pois é mais fácil a disposição para aquilo que nos entusiasma, nos move, nos toca a alma.

Mas situações existem que a disposição para agir não se refere exatamente àquilo que nós gostamos de fazer, mas que é preciso dar uma resposta, agir, estar disposto a encarar a situação de frente, sem procrastinar, adiar, deixar para depois, fazer corpo mole.

O advogado disposto traz consigo uma aura de poder original, porque é o homem em ação, pragmático, decidido. Muito se ouve críticas de que aquele advogado não faz nada. Algumas vezes isso é verdade, outras, não. Estar disposto não quer dizer ser um atabalhoado, um violador do ritmo das coisas, um neurótico sem rumo correndo para lá e para cá, sem o menor silêncio nos gestos e na mente, sem consciência do que busca ou de como busca.

Portanto, a disposição do advogado, o advogado disposto, é identificado pela sociedade como o verdadeiro advogado, que peregrina em busca de uma solução, que fala, que age, que combate, que sabe o que quer. Esse estado de espírito deve ser despertado a cada amanhecer, pois com o sol tudo se acorda, tudo se levanta, se move, a natureza em ação. Assim deve ser o espírito do advogado, em sintonia com a criação.

3 comentários:

Neris Alves de França disse...

Texto bem escrito, que serve pra todas as profissões e situaçòes da vida. Li, reli e vou procurar aplicá-lo nos meus trabalhos pastorais paroquiais.
Sempre estou lendo teu blog.
Um forte abraço, Pe. Neris Alves de França - Eirinepé - AM

Sanderson Silva de Moura disse...

Amigo Neris.

Sei de sua competência, pois você sempre dedicou atenção aos detalhes.

Quando estiver em Rio Branco-Acre, me liga.

Sanderson

KRONUS disse...

Saudações,

Tenho acompanhado suas postagens há dois meses, e a cada dia tenho admirado mais. Obrigado pelas palavras!! Fabio Galvão. Advogado.