terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Eu não me alegro com as desgraças dos outros

Eu não me alegro com as desgraças dos outros. Nem com as desgraças das vítimas nem com as desgraças de seus algozes.

Talvez as desgraças dos outros nos faça esquecer as nossas próprias misérias.

Quanto mais vibramos, quanto mais aplaudimos a queda do irmão, mais descemos os degraus da inconsciência, da desumanidade.

Ver as calamidades dos outros causa um certo prazer, uma certa ilusão de superioridade, uma certa sensação prazerosa de vingança.

Eu não me alegro com as desgraças dos outros.

Quando o revolucionário Marat subiu na tribuna da Revolução Francesa pedindo a cabeça de seus adversários, ouviu de Danton a corajosa reação:

"Dai um copo de sangue a esse canibal, ele tem sede".

Sede de ver os outros presos, desmoralizados, linchados, humilhados, caídos.

Não, eu não me alegro com as desgraças dos outros. Nem com as desgraças das vítimas nem com as desgraças de seus algozes.

2 comentários:

Hugo Brito (Jordão-AC) disse...

Dr. Sanderson,

Eis me aqui para cumprir o meu oficio de gratidão pelo seu comentário e renovar minha profissão de amor ao direito e ao seu belo trabalho.
Gratidão à generosidade do senhor que me permite comungar deste espaço e aprender nesta "ágora contemporânea".
A Ágora era o palco da liberdade. O palco do compromisso, em que a hermenêutica e a heurística talhavam os grandes homens assim como o senhor. Discurso sem interpretação dos fatos e sem preocupação com a verdade, era demagogia. A ética ia tomando forma discursiva e embelezava as relações sagradas de ensino e aprendizagem.
Mas uma vez você fez uso de suas palavras para relatar temas tão comuns nos dias atuais, a maldade humana, a inveja,o acaso...
E como complemento a sua mensagem devo acrescentar que...A ausência de conhecimento pode gerar o preconceito e ainda o aprisionamento.Aproveito esse conceito para professar minha indignação contra qualquer tipo de preconceito. O tosco, horrípilo preconceito que diminui e arranca do outro a esperança. A educação e o preconceito não frequentam os mesmos altares.
Com os meus respeitos,
Hugo Brito (Jordão-AC)

fatima disse...

Querido Sanderson, mais uma vez você foi muito feliz repassando esta linda mensagem aos seus leitores, quando leio essas mensagens me sinto enriquecida, deslumbrada e cada vez mais fortalecida diante dos problemas e dificuldades que assola nossa caminhada. obrigada.

Fatima Eliamen