sexta-feira, 14 de maio de 2010

A verdade ajuda a quem merece

O júri foi na cidade de Epitaciolândia - Acre. O velhinho falava com firmeza, cabelos brancos, alto, mecânico, voz arrastada, poucos dentes na boca, disse ter visto a vítima levantando uma cadeira para agredir o réu.

O Promotor não acreditou nesta versão.... o velhinho queria era beneficiar o increpado. Pediu acareação com outra testemunha, que disse que do lugar onde o velhinho se encontrava não dava para ver os fatos.

Acarear significa colocar um na frente do outro, e assim foi feito. Cada um confirmou a sua versão. A juíza chegou a dizer: "uma coisa é certa um dos senhores está faltando com a verdade".

O promotor, com o talento de tribuno e o vigor da juventude, sustentou a acusação... o réu praticou os fatos por futilidade e com recurso que dificultou a defesa do ofendido, dando covarde e exageradamente 5 facadas na vítima, e que o negócio dele dizer que a vítima estava com uma cadeira lhe agredindo, era versão isolada e inverídica.

Quando o velhindo estava depondo fiz a seguinte pergunta a ele:

- O senhor tem interesse em beneficiar alguém aqui neste processo?

Ele respondeu prontamente.

- Estou dizendo a verdade, e a verdade ajuda a quem merece.

Fiz desta frase o sumo da minha argumentação, o refrão, o lembrete constante durante a defesa.

Ao final os jurados entenderam que o velhinho falou a verdade e que o réu deveria ser absolvido por legítima defesa. Quanto a quantidade excessiva de facadas, isso foi justificado tendo em vista que mesmo recebendo um golpe no abdome, a vítima, forte, alta e afamada por ser faixa-preta de caratê e kung fu, continuou agredindo o réu.

Li uma frase de um místico, já faz algum tempo, que gravei na memória: "A verdade nos traz muitas dádivas". E uma dessas dádivas é o que o velhindo disse, "a verdade ajuda a quem merece", a quem tem direito, a quem tem razão.

2 comentários:

FLÁVIO SANTOS disse...

Boa tarde Nobre amigo; É bem certo, pórem, NEM SEMPRE "a verdade ajuda a quem merece" como é de vosso conhecimento e de várias pessoas (principalmente em tribunais de juri)ainda existem quem prefira dá ouvidos de mercador , e nessa hora a verdade (na minha opinião) não passa apenas de palavras, INFELIZMENTE. Abraços e continue com seu trabalho de forma digna e correta como vc tem feito até hoje.

Sanderson Silva de Moura disse...

Olá, Caro Flávio.

O que você disse é verdade também, em algumas situações nos vemos perplexos tentando entender os acontecimentos.

Confiar na verdade, e viver de acordo com ela é a verdadeira revolução do espírito humano.

Abraços de seu amigo Sanderson