sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Sócrates no Tribunal

Lendo o livro Intuição: O Saber Além da Lógica, de Osho, deparei-me com uma reflexão que muito interessa aos cultores do direito.

Osho fala que existem dois níveis de consciência: aquele onde a força é quem diz o que é o certo, e aqueloutro, onde o certo é quem diz o que tem força.

Podemos entender um como o direito da força, e o outro, como a força do direito.

A força diz o que é certo por meio da violência, da ameaça, da guerra.

O certo diz o que tem força pela inteligência, pela lógica, pela ciência, pela razão, pela argumentação.

Esses dois níveis de consciência debateram-se no julgamento do filósofo Sócrates.

Sócrates perguntou ao Tribunal:

"Quais são os meu crimes?"

O Tribunal respondeu:

"Corromper a mente da juventude".

Sócrates redarguiu:

"Mais isso não é crime. O que vocês chamam de corrupção eu chamo de consciência, de criação. Vocês é que enganam e corrompem os jovens mantendo-os nas na escuridão da ignorância."

O debate continuou por vários dias. No que diz respeito a inteligência, um homem sozinho calou a boca de toda a medíocre sociedade ateniense da época.

Quando alguém comunicou o resultado condenatório a Sócrates, ele disse: "Votar não pode provar o que é certo e o que errado. Na verdade, a maior possibilidade é que as pessoas votem pelo que está errado, porque a maioria das pessoas ainda se encontram no plano da ignorância."

Sócrates estabeleceu o que é certo por meio da inteligência, da razão, da lógica, da argumentação. E foi vitorioso mesmo, na condenação. Sua luz ainda clareia as trevas da ignorância de nossa humanidade.

E chegará um dia que a vitória definitiva será da luz do saber, onde todas as consciências humanas terão morada na claridade do verdadeiro conhecimento universal.

Um comentário:

Priscilla disse...

Estou lendo Os pensadores : Sócrates. É um otimo livro. Começei a me interessar por livros, e é com eles que eu tiro muitas lições ! Sócrates afirma :
- Parece-me não ser justo rogar ao juiz e fazer-se absolver por meio de suplicas; é preciso esclarecê-los e convencê-los. Eu to amando ler esse livro.