sexta-feira, 30 de maio de 2014

Como vejo Joaquim Barbosa?


Como vejo Joaquim Barbosa?
 
Como uma pessoa difícil, perigoso com o poder nas mãos, com inclinações tirânicas, com dificuldades em aceitar a opinião do outro; um homem com muitas questões psicológicas ainda por resolver, de humor infantil, idiossincrático, inconstante e agressivo.
 
Sua imaturidade no trato com o direito só trouxe insegurança e constrangimento para as instituições. Já vai tarde!
 
Pode ser bom para alegrar a mídia e o povo, mas é péssimo para a civilidade institucional. Para mim não vai deixar nenhuma saudade.
 
Ele foi a prova viva de que só saber direito não é saber direito. Direito sem uma perpectiva humanista é direito torto, é bullying, é violência jurídicas, é direito desprovido de alma, de essência, de brilho, de consciência, de autoridade real.

4 comentários:

Thalles Vinícius disse...

Perfeito, Dr. Sanderson. Joaquim Barbosa, por sua história de vida, para mim sempre foi exemplo de superação. Exemplo de que a educação pode transformar a vida de uma pessoa e das gerações que o sucederem. Infelizmente "a toga lhe subiu à cabeça" e o que vimos, sobretudo nos últimos anos, foi um espectáculo de arrogância e anti republicanismo. Já vai tarde mesmo! Mas que ele possa se tornar mais humilde e reconhecer os erros que cometeu.

Raimundo Costa disse...

Tenho uma grande admiração por você mas não concordo com vc,ele mostrou ao Pais que ainda podemos acreditar na justiça,estamos vivendo num pais onde quem tem dinheiro não vai preso e ele mostrou que ainda podemos acreditar.

Pedro Freire disse...

Oi Sanderson Moura, saudações.

“Como vejo Joaquim Barbosa?”

É um comentário corajoso, feito com a percepção da inteligência mesclada com a sabedoria, o discernimento é um merecimento de quem busca o autoconhecimento, de quem está comprometido com a evolução interna, de quem está ciente e em estado de alerta. Portanto para julgar com justiça, para julgar com verdade, para julgar com equilíbrio, para julgar com integridade é preciso ter luz na consciência, é preciso ter uma consciência virtuosa, que não se curve diante dos aplausos e dos holofotes da grande imprensa. Entretanto, para julgar com lisura é preciso estar em aliança com a ciência jurídica e com a luz que emana das literaturas do autoconhecimento, só assim, a justiça será feita com humildade e humanidade.

Pedro Freire
Jordão Acre.

Anônimo disse...


Oi Dr. e Prof. Sanderson Moura fui seu aluno de Ensino Medio na Escola Neutel Maia,no ano entre 2000 e 2002, aprendi muita coisas com o Sr. em sua materia de Historia,na epoca, otimo prof. com uma aula muito didatica se e assim que posso falar numa expressao simples de um aluno humilde ate o presente momento. Hoje como estudante de Medicina, e aprendendo a ver as coisas de um agulo diferente posso lhe dizer, discordo da maneira com que voce fala de Joaoquim Barbosa, porque bandido currupto sem caracter teem que estar na cadeia cumprindo pena, por crimes que cometel em suas apocas de mandato, e nao fazer vista grossa e deixar tudo do jeito que esta, enganando as pessoas nao as pessoas nao o pais inteiro, sem mais..

Elvis