terça-feira, 14 de abril de 2009

Valdir Troncoso Peres: o meu grande inspirador

Não o conheci pessoalmente. Foi melhor assim.

Às vezes que eu fui a São Paulo ainda fiz algumas tentativas para conhecê-lo. Mas não foi possível. Já estava ele muito idoso para ir ao escritório - local que ele definia como o laboratório da alma humana. E eu não queria incomodá-lo no recanto de seu lar. Tinha um certo receio até, de o mito ser desfeito pela proximidade. Era melhor a distância.

Falei para o doutor Florindo, presidente da OAB do Acre que seria importante para a advocacia do nosso estado conhecer o grande criminalista, antes que ele morresse. Mas não foi possível também.

Quando ainda menino, em certa ocasião, ao sair alvoroçado de casa, à noite, para brincar na rua, apenas ouvi no Fantástico a notícia de que se enfrentariam num grande julgamento os maiores advogados do Brasil. Se escutei bem, a matéria afirmava que nenhum deles jamais tinha perdido um júri. Não sei se foi dito assim, mas entendi dessa maneira.

Tempos atrás, revivendo minhas memórias, para recordar um pouco mais de mim mesmo, lembrei-me desse episódio, e estudando a noticía da época descobri que se tratava do julgamento do famoso cantor popular Lindomar Castilho, acusado de matar sua mulher Eliana de Gramond.

O caso mobilizou o país, o movimento feminista se rebelava contra a tese da legítima defesa da honra, para muitos, o portal largo da impunidade que acobertava os matadores de mulheres, os valentões, os machões, os playboys.

Valdir Troncoso Peres na defesa, atuando contra a corrente: "Quem ama não mata". Márcio Tomás Bastos na acusação.

Eu tinha ao tempo em torno de oito anos de idade. Vejo aí a raiz, até onde pude chegar, de minha vocação como advogado criminalista. Nunca aquilo saiu da minha cabeça, fez morada no meu inconsciente, fiquei impressionado: "dois advogados que nunca perderam uma causa, enfrentando-se num julgamento". Não me interessei pelo resto, apenas ficou a mensagem e a imagem na mente. "Dois grandes advogados que nunca perderam uma causa, enfrentado-se num julgamento.

Que coisa grande, romântica, um sonho de menino. Dizia: "quando eu crescer quero ser igual a um desses caras..."

Valdir Troncoso Peres, o meu grande inspirador. Seus júris lindos, suas frases impactosas, sua voz trovejante, o mito, a genialidade, o maior orador de júri do mundo, a paranormalidade.

Li tudo a respeito dele. Nos livros, nas revistas, na internet. Apreciei cada discurso seu em diversas gravações que encontrei. Não me cansei de divulgá-lo, de aplaudi-lo, de reconhecê-lo como a maior autoridade de júri do país.

Tudo o que falava tinha uma enorme importância para mim. Um homem que sabia, um sábio. Como eu torço para que alguém escreva uma linda biografia dele, narrando seus casos, suas façanhas, seus milagres.

Por que ele foi tão grande advogado criminalista?

Porque como ele dizia: " por um ímpeto do meu ser, por um comando interior, a advocacia criminal está em minhas células".

Era conhecido como o Príncipe dos Advogados Criminalistas.

Em sua presença todos tiravam o chapéu em reverência ao grande decano, ao enorme gênio da defesa criminal, ao mágico, ao mago, ao hipnotizador de conselhos de sentença.

Não o conheci pessoalmente, já o disse. Mas tinha uma sintonia espiritual com ele. Uma identificação. Um laço não sei vindo de onde. Eu daqui do Acre, ele lá de São Paulo.

Morreu aos 85 anos. Bela idade, só dada de presente àqueles advogados que souberam como ele amar a vida, a liberdade, o direito, o tribunal do júri, com todo o entusiasmo da alma.

Adeus meu grande inspirador, minha doce fonte de ensinamentos, contigo aprendi a ser advogado. Agradeço a Deus pela tua existência. Tu não me conheceu, mas eu te conheci, e isso foi um tesouro para mim.

Um nome brasileiro a honrar a história da eloquência universal do tribunal do júri. Valdir Troncoso Peres, o maior símbolo da poderosa advocacia criminal brasileira.

13 comentários:

Cristina Rafaela disse...

Que bonita homenagem, Dr. Sanderson! Quiçá eu arranje uma pessoa assim para me inspirar em minha carreira também!


E por falar em carreira... amanhã apresento meu artigo de conclusão de curso! Falarei sobre o Muro de Israel, o parecer consultivo da CIJ e a Suprema Corte Israelense. Deseje-me sorte! Um abraço fraterno.

Sanderson Silva de Moura disse...

Cristina

Desejo-lhe toda a sorte boa na apresentação de seu trabalho.

Em toda profissão existem aqueles que nos inspiram, só basta a gente querer encontrar.

E espero que você encontre. É algo muito bom.

Fraternal abraço.

Sanderson Moura

SILVIO REIS disse...

Tive a oportunidade de ouvir um discurso dele em um CD que acompanha um livro de oratória que comprei. É impressionante a capacidade que ele tinha de expressar sua idéias. Realmente, ele era inspiração para muita gente, em várias áreas do saber humano. A intelectualidade brasileira perdeu muito com a morte do Dr. Waldir Troncoso Peres, pois ela era uma cachoeira de ideias. Pena que ele não deixou nada escrito, mas deixou muito por ser escrito. Que Deus o guarde no melhor lugar que ele tiver no céu.

Pedro Alves disse...

(solicito a publicação) Meu caro Sanderson, sobre os comentários desairosos do Governador do Estado sobre os advogados gostaria de dizer que estamos vivendo uma total inversão de valores. Quando observamos um Governador agredir gratuitamente uma categoria profissional, principalmente sendo essa mesma categoria a responsável pela defesa dos direitos do cidadão. Quando um governo festeja a construção de um presídio ou coisa do gênero, como no caso do Centro Aquiry, somos forçados a confirmar que nosso estado está na contramão da história, infelizmente somos forçados a concluir que nossas políticas públicas estão realmente falidas. Quando se comemora a inauguração de um presídio é por que nossos governantes falharam na educação, na geração de emprego e renda, na saúde, nas políticas de segurança pública preventivas e em tudo mais. Penso que um grande governo e um grande governador deve festejar muito a criação de uma escola, de um hospital, de uma indústria ou de algo que possa construir uma sociedade melhor. No Acre comemoramos a criação de um presídio para adolescentes, é isso mesmo, para aquelas pessoas que são o sub-produto de um modelo de desenvolvimento falido. E não adianta culpar os governos do passado, pois já vivemos há mais de 10 anos sob a batuta desse grupo, sem contar os outros quatro anos de administração do aliado Orleir Cameli. Como acreano e cidadão brasileiro fico envergonhado com esse quadro, nosso povo está de luto porque nossos direitos estão indo pelo ralo do autoritarismo e da incompetência administrativa. Proponho um movimento cívico de repúdio a isso tudo, vou adotar uma fita preta como acessório permanente, nos moldes dos caras-pintadas do fora Collor. Pra finalizar gostaria de dizer que a mudança de todo esse desgoverno depende de cada um de nós, isso mesmo de cada um de nós, isso por que muitos não conseguem ver claramente o que está acontecendo por trás de toda a carga de propaganda enganosa do governo da floresta.

OLINTO disse...

Olá amigo. Belas palavras, bela homenagem. E eu, que sou um aprendiz em trabalhar com elas, as palavras, estou aprendendo a admirar o jeito simples, bom e marcante de vc expressar seu sentimento. Isso é raro.

Sanderson Silva de Moura disse...

Caro Olinto

Fico feliz com a sua visita neste espaço.


Obrigado pelas boas palavras.


Forte abraço


Sanderson Moura

Anônimo disse...

A grandiosidade do Dr. Waldir, inclusive pode lhe render um busto seu na sala di júri do Tribunal de Justiça, pelo menos é o que pleiteia o presidente da OAB/SP.

Graziela disse...

Olá Dr. Sanderson. Realmente uma bela homenagem ao Dr. Troncoso. Ele merece, como grande profissional que é (pois já é uma lenda). Estou lendo a Revista do Advogado (AASP) que na edição de nº106 o homenageado é justamente o Dr. Waldir.
Ainda sou uma estudante de Direito, mas estou simplesmente encantada com a história dele, e, em um dos relatos li que o júri de Lindomar Castilho foi transmitido por uma rádio... Confesso que estou procurando já a algum tempo por esse arquivo, mas não acho! Gostaria de saber se o Sr. Possui algum registro de áudio desse ou qualquer outro júri que o Dr. Troncoso fez.
E se pudesse me enviar eu ficaria imensamente agradecia.

Deixo meu e-mail para contato, caso o Dr. possa me ajudar: gramfog1@hotmail.com

Att.: Graziela Fogaça.

Biju disse...

Prezado Sanderson,

Emocionante seu texto, meus parabéns. Venho da leitura da entrevista de Troncoso peres em "a paixão no banco dos réus", e compartilho de sua admiração por esse jurista extraordinário.

Não poderia deixar de te dizer que um dos 3 maiores virtuosos da guitarra, Yngwie Malmsteen, declarou ter se iniciado na música ao se impressionar com a imagem que viu an TV, aos sete anos: Jimi Hendrix queimando a guitarra elétrica. Achei muito interessante você narrar um evento parecido, e que você tenha, na advocacia, o estrelato que Malmsteen alcançou na música.

Sanderson Silva de Moura disse...

Biju

Valeu a informação a respeito do grande guitarista.

Agradeço os votos. Recebo-os com carinho.


Abraços


Sanderson

ricardo disse...

Sanderson, sou filho de um advogado de Sao paulo, ao pesquisar sobre o Dr Waldir, encontrei seu site e sua admiracao por este genio.
Convivi desde de crianca com o Dr Waldir, quando meu ia ao Forum passava em seu escritorio para conversar com o Dr Waldir.
Virei Arquiteto, nao sei como, pois como acompanhava meu pai, escutava suas historias e sua voz forte em seu escritorio, ficava impressionado.
Ele passava pelas calcadas ao lado do Forum Joao Mendes como uma pessoa comum e humilde com seu terno bem surrado e as vezes com sapatos bem gastos, e ninguem percebia que estava passando um genio por ali. Algumas de suas manias era tirar uma soneca depois do almoco, como me lembro, em seu sofa de couro que ficava em seu escritorio.
Essas sao algumas passagens que me lembro que queria compartilhar com voce, pois, como disse voce nao teve oportuindade de conhece-lo.
Abracos
Ricardo

sanderson disse...

Caro Ricardo.

Você teve a felicidade de conhecer, como mesmo você disse, um gênio do tribunal do júri.

Obrigato por ter compartilhado as suas informações.

Seja benvindo a este blog.

abraços

Sanderson

Felipe disse...

Waldir era conhecido como "O Cícero paulista" ou "espanhol", entre os colegas. Quem era chamado o "príncipe dos advogados criminalistas", reconhecidamente inclusive por Waldir Troncoso, foi Dante Delmanto.