quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Adeus, Dama do Júri!




Destaque da advocacia no ano de 2004. "Quero oferecer esse prêmio ao Sanderson, esse prêmio é dele também".










"Ei Sanderson, ei Sanderson".

Ouvi aquela mulher gritando por mim, quando estava atravessando a rua em direção a Livraria Paim.

Olhei para trás, e disse, surpreso:

"Doutora Salete...como vai?"

"Vou bem.. Escuta, rapaz, ouvi dizer que tu tá bom de júri que só, vamos trabalhar comigo, abri meu escritório, tu sabe que tarauacaense é bicho valente, vamos que a gente cresce juntos".

"Mas rapaz, vamos...."

E fui. Era o ano de 2002. Ela já me conhecia desde pequeno, correndo nas ruas de Tarauacá. Não perdia a oportunidade de falar: "esse é brabo desde menino".

Fizemos lindos júris, bem ao estilo da romântica advocacia criminal. Ela amava o júri popular. Os mais importantes julgamentos da história recente do Acre atuamos em perfeita sintonia, porque como ela mesma se orgulhava: "tarauacaense é bicho macho".

Mulher corajosa, de fala aprumada, uma dama da tribuna, que esbajava energia e talento.

Foi graças a ela que meu nome passou a ficar conhecido como advogado criminalista. Ela abriu portas para que eu passasse.

Ela sempre me incentivou, apostou em mim. Fazia-me elogios públicos que às vezes me pegava sem graça:

"O Sanderson é uma dessas raras vocações do júri que só aparecem de 100 em 100 anos".

"Costumo dizer que o Sanderson é o filho que não pari".

Foi ela uma das pessoas que analisou a minha monografia de conclusão do Curso de Direito. Me deu nota 10, com louvor. Alguns diziam: "O Sanderson é o besta... vê quem ele escolheu para analisar a monografia dele...".

Tinha uma personalidade que impunha respeito. Só o nome já amedrontava: Salete Maia.

A Promotora, a Procuradora, a Secretária de Segurança, a Dama de Ferro, a Advogada Salete Maia.

Quando resolvi seguir pela estrada sozinho, ela sentiu muito a minha partida, mas respeitou minha opção.

Depois disso tivemos um confronto forense dos mais agitados da história do júri acreano: o julgamento de Garibaldi. Eu na defesa, ela na acusação. Era tempestade para todos lados, raios, trovões, ventania. Depois, o céu ficou azul novamente.

Foi uma mulher que passou pela vida e viveu, intensamente, bravamente, vitoriosamente. Ajudou a construir o Ministério Público, lutou por um Acre melhor, serviu as nossas instituições, amava o Acre e se orgulhava de ter nascido "nas barrancas do Rio Tarauacá".

A ela minha homenagem, a ela minha gratidão, a minha e a de toda a minha família, que sente muito a sua partida, ainda tão cedo.

Que teus caminhos sejam de flores e de luzes. Que na estrada que te levará para o Grande Mistério possas só encontrar gente boa, gente de paz, gente do bem, cachoeiras murmurantes, pássaros canoros, rios de águas mansas, canções bonitas, a natureza dando louvores a tua chegada na morada de Deus.

9 comentários:

Anônimo disse...

Olha Sanderson! eu ouvi falar pela primeira vez no nome da Doutora Salete Maia, quando ainda era estudante secundarista no colégio Meta. Depois fui me familiarizando com o nome e ações daquela mulher, dita como: corajosa, independente em suas ações, combativa, culta, e conhecida como a "dama de ferro".

No ano de 2006, vi a Doutora Salete, juntamente com você Sanderson, atuarem na defesa do policial conhecido como "carioca", pronto!! foi "amor" a primeira vista...

Em outra oportunidade, eu e a Doutora Salete, defendemos 02(dois) policiais militares, sendo que o defendido por ela, também era filho da cidade Tarauacá, foi uma verdadeiro êxtase para este simple Defensor Público, que ladeava a tribuna da defesa, com aquela "diva", "dama das tribunas". Foi um dia inexquecivel...

Encontro-me consternado com tão prematura partida ao desconhecido, daquele que foi tão conhecida. O romancista Dias Gomes, afirmou que: -Infeliz é o homem que passar por esta vida sem ser notado. A minha eterna doutora, passou nesta vida, e foi demasiadamente notada...

Vai com DEUS, minha inexquecível Doutora...

CIPÓ DAS SETE disse...

Belissímas palavras. Foi sucinto porém muito delicado ao falar de uma mulher que representa muito para o Acre.

Anônimo disse...

Caro Dr. Sanderson Moura, li com atenção seu texto de despedida da Dra. Salete Maia.
Quero parabeniza-lo pelo sentimento, beleza e pela verdade com que escrevestes.
Era uma guerreira sim, era muito sensivel e, como dissestes, uma dama não só do juri, mas tambem do dia-a-dia como cidadã.
O Acre está empobrecendo de pessoas.
O Acre está triste, eu estou triste
porque tambem era um grande admirador.

Que os deuses da floresta cuidem muito bem dela!

Um abração!
Sergio Souto

Anônimo disse...

Dr. Sanderson, adicionei seu blog aos meus preferidos.

Um abraço!
Sergio Souto

Rodrigo Santos disse...

Sanderson...

Te conheci quando entrei pra faculdade em 1998. Voce era presidente do DCE da UFAC e logo percebi que voce era "O" cara. Fico muito feliz de ver essa sua declaração a respeito da Dra. Salete Maia. Nao a conhecia, mas acompanhei seu trabalho pela imprensa acreana. Saber que voce aprendeu com ela e somou conhecimentos me deixam mais orgulhoso ainda do povo acreano.

Voce é brilhante... e agora, sabendo que voce é humilde fico muito mais feliz ainda por ter sido inspirado por voce na época da minha primeira faculdade. E agora, cursando direito, espero poder seguir seu exemplo também! Assim como o exemplo da Dra. Salete... que muito nos honrou com seu trabalho e dedicação à Justiça acreana.

Grande Abraço

Sanderson Silva de Moura disse...

Rodrigo, obrigado pelas boas palavras.

A Salete é um exemplo para quem quer triunfar no mundo do direito.

Determinada, zelosa, destemida e amante da justiça.

Heriberto Amorim disse...

É isso aí Dr. Sanderson, suas palavras são dignas de um verdadeiro Tarauacaense, aguerrido, destemido, que como a Dra. Satele Maia, representou muitíssimo bem o nosso povo. Que DEUS a possa ter em um ótimo lugar.Tarauacá está de luto, ficou mais pobre intelectual e moralmente, por ter perdido uma de suas filhas mais ilustres que tanto ogulhava a sua terra. Adeus Dra. Salete Maia, pode ter a certeza que o povo das "barrancas do Rio Taraucá", aliáis, o povo do Acre sentirá muito a sua falta.

Amarisio Freitas disse...

Belas palavras Dr. Sanderson, vocês sao motivos de orgulho não só para a classe advocaticia, mas também servem para inspirar outros profissionais liberais, pois bons exemplos e modelos transcedem as ordens e classes.
Sou Bel. em Ciências Contábeis. Lembro-me de você em disputa de Grêmio em C. do Sul, quando você veio diretamente de R. Branco para apoiar uma chapa contrária a que eu participava.
A vida é como um trem e em cada estação alguns descem outros sobem, mas poucos compartilham sua história e são verdadeira história. Cabe a você como amante do direito e tendo tido o privilégio de conviver diretamente com Dra. Salete Maia e a todos nos acreanos de manter viva este exemplo de determinação e amor pelo que faz.
Meus reais sentimentos a todos.
Amarisio Freitas - Bel. C. Contábeis, Natural de CZS

laurides disse...

olá sanderson!passando para dizer do orgulho que sinto em vê um colega professor se destacar tanto no como defensor ,mas já conhecia seu potencial nos tempo de educador no sindicato e sabia que um cara corajoso como vc jamais ficaria nesta vida de professor ,pois vc sempre buscou muito mais e com a juda desta mulher guerreira vc só complementou o que j tinha ,hoje sei que vc esta triste por perder uma grande amiga e companheira ,aproveito para dizer que sinto orgulho por esta dupla de taurauacaense ,pois voces s´´ nos deram orgulho. Força nós precisamos de pessoas como vc..um grande abraço de sua ex companheira de educação.